sexta-feira, 21 de setembro de 2018

De Vila Nova de Milfontes ao Cabo Sardão


Passeio pedestre V. N. MILFONTES :: CABO SARDÃO (Rota Vicentina)

Integrado no Plano de Atividades para 2018, a Associação Evion com o apoio logístico do Município de Alcácer do Sal realizará no próximo dia 29 de Setembro um passeio pedestre pela Rota Vicentina, percorrendo o troço V. N. MILFONTES :: CABO SARDÃO. 
24 KM de pura emoção...

Neste dia vai lavar a alma com vistas deslumbrantes sobre Vila Nova de Milfontes, o rio Mira (que aqui tem o seu encontro com o Atlântico), as falésias altas e escarpadas e o farol do Cabo Sardão no Cavaleiro.

A passagem da ponte sobre o rio, em Vila Nova de Milfontes, permite contemplar a foz, a vila e as encostas cobertas de matos mediterrânicos. Estes produzem abundantes bagas, que atraem pássaros e pequenos mamíferos. Na maré vazia, contemple os sapais, nas curvas do rio, parcialmente emersos e cobertos de juncos, que funcionam como maternidades de peixes.

As falésias altas e escarpadas em partes deste troço, apesar de expostas ao vento salgado e teimoso do mar, são local de nidificação de mais de 20 espécies de aves! É o caso da gralha de nuca cinzenta, do corvo-marinho de crista, do peneireiro, do falcão peregrino, do pombo das rochas, da cegonha branca (único local no mundo onde a cegonha faz ninho nos palheirões) e do rabirruivo preto. O falcão peregrino é o animal mais rápido do mundo. O seu voo picado chega a atingir 300 km/h!

Antes da entrada no pinhal e da chegada ao Cavaleiro, areias e arenitos de tons fortes e quentes, são sinais de épocas de clima tropical. Os seus tons avermelhados resultam da acumulação de óxidos de ferro.

O farol do Cabo Sardão, vale mesmo a pena. Este farol tem uma característica única: está construído ao contrário de todos os outros, ou seja, com a porta de entrada virada para o mar e o farol voltado para terra!

Grau de dificuldade: Médio

Inclui transporte de Alcácer do Sal até ao local de início da atividade (pelas 7:15 no estacionamento da margem sul) e regresso pelas 18:30

Pedido de Informações e Inscrições através do endereço de e-mail: evion.dp@gmail.com

| Inscrições Limitadas |

Preço:
Sócios com quotas em dia ou plano de pagamento – 5€ 
Público e sócios sem quotas em dia – 12€

Associação EVION - RNAAT nº429/2016

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Azaruja











A origem da aldeia, Azaruja, provém da ribeira da Razucha, de acordo com o Tombo das Delimitações do Concelho de Évora, em 1536. Mais tarde passou a denominar-se Vila Nova do Príncipe (nome que a República não homologou).
A constituição da mais populosa e industrializada aldeia do concelho de Évora, remonta à segunda metade do séc. XVIII e foi fundada, segundo os dados disponíveis, pelo Alcaide-mor do Castelo Ventoso, Martim Lopes Lobo "em terras suas para delas fazer vila".
Após a implantação do regime constitucional Azaruja viu com prazer a montagem no seu seio de fábricas de cortiça. Foram os ingleses e catalães os primeiros a construírem as suas fábricas de cortiça e trouxeram a prosperidade de Azaruja.
É por este motivo que a população de Azaruja apresentava um carácter misto, cosmopolita e rural, sendo frequente ouvir-se falar português e espanhol. Desta diversidade de raças saiu um tipo inconfundível em todo o Alentejo.
Existem na freguesia alguns imóveis com grande interesse cultural, de entre os quais se destacam o Pelourinho, a Igreja Paroquial, o conjunto do Palácio do Conde da Azarujinha.
Texto copiado do site: 

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Património Imaterial em selos


É com imenso orgulho que vemos o nosso artesanato a ser reconhecido internacionalmente: 
A nova emissão filatélica dos CTT homenageia o fabrico de chocalhos de Alcáçovas e o Figurado em Barro de Estremoz, ambos património da humanidade, classificados pela UNESCO.
Ao todo vão ser lançados nesta nova emissão cerca de meio milhão de selos, da autoria do Atelier Pendão e Prior – Fernando Pendão, com o valor de 0,86 euros, porte para o correio europeu e que vão percorrer o mundo.
O fabrico de chocalhos de Alcáçovas (Viana do Alentejo) foi classificado património da humanidade em dezembro de 2015 e o figurado de barro de Estremoz foi classificado em dezembro do ano passado. 🌳

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Achigã









O achigã é originário do sul do Canadá e norte dos Estados Unidos da América e foi introduzido na Europa no final do século XIX. 

Distribuíção Geográfica

Portugal:O achigã foi introduzido pela primeira vez em Portugal em 1898, na Lagoa das Sete Cidades, S. Miguel, nos Açores.
No continente, no entanto, apenas em 16 de Fevereiro de 1952, através de um pequeno número de alevins (150), provenientes de uma piscicultura francesa, a Piscicultura de Clouzioux. O Achigã teve uma excelente adaptação e espalhou-se rapidamente por todas as bacias hidrográficas, particularmente a sul do Rio Tejo, sendo hoje  considerado um dos predadores que mais tem contribuído para uma clara diminuição de outras pequenas espécies, nomeadamente nas albufeiras.

Brasil:foi introduzido no Brasil na década de 30 e habita várias represas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

Características

Possui um corpo altivo e alongado, uma cabeça grande e de boca larga e com numerosos e minúsculos dentes, justificadamente agressiva, possui um dorso e cabeça de coloração verde escuro ou oliváceo, com flancos dourados, ventre branco, a linha lateral tem uma fiada de manchas castanhas ou negras, bem visível nos adultos e o opérculo tem duas barras escuras e uma mancha preta.  Tem uma barbatana dorsal dividida em duas partes, tendo a primeira raios espinhosos, tendo ainda na boca uma maxila inferior proeminente e mais saliente do que a superior.

Habitat 

Caracteriza-se como um peixe de águas temperadas ou pouco frias, habitando em locais com vegetação aquática nas albufeiras e lagoas, aparecendo também em alguns troços médios e inferiores dos rios, e habitualmente vive solitário ou em pequenos grupos. É uma espécie de superfície não excedendo normalmente os 7 metros de profundidade e que suporta bem as águas salobras.
 Pode medir até 80 cms. e possuir um peso máximo de cerca de 10 kgs., sendo estas medidas mais reduzidas nos exemplares europeus.

Alimentação

O Achigã adulto é um predador muito voraz, alimentando-se preferencialmente de outros peixes e crustáceos e também de insectos aquáticos.

Reprodução

Durante o período de reprodução, de Abril a Junho, o macho tem um comportamento territorial, protegendo o ninho até os novos terem 3 a 4 semanas de idade. Após este período, permanece em cardumes pouco numerosos durante mais 2 ou 3 meses.
A desova ocorre quando a temperatura da água atinge os 16 a 18ºC, cada fêmea deposita entre 4.000 e 10.000 ovos em locais de fraca corrente e pouca profundidade, em ninhos feitos pelos machos sobre camadas de pedras, cascalho, areia ou entre raízes aquáticas, ficando os ovos aderentes ao substrato do ninho, o qual é bem guardado e onde procura agitar-se constantemente para melhor oxigenação dos ovos. Após a postura, a companheira é expulsa do ninho, chegando mesmo a ser caçada, podendo ainda o macho atrair outra fêmea.

Técnicas de Pesca para o Achigã

Tamanho mínimo de captura: 20 cm.
Localizações em Portugal - Barragem de Aguieira, Alvito, Arade, Belver, Bravura, Cabril, Caia, Caniçada, Capinha, Carrapatelo, Castelo de Bode, Coruche, Crestuma Lever, Ermal, Fagilde, Fonte Serne, Funcho, Idanha-a-nova, Machuqueira, Magos, Maranhão, Meimoa, Montargil, Monte da Barca, Monte Novo, Morgavel, Mourão, Mula, Odivelas, Pêgo do Altar, Póvoa e Meada, Rôxo, Santa Clara, Torrão, Toulica, Vale Cobrão, Vale da Gata, Vale do Carrapatoso, Vale do Gaio, Venda Velha, rio Arade, Caia, Degebe, Douro, Guadiana, Leça, Lis, Minho, Sado, Sever, Sorraia, Tâmega, Tejo, Vouga, Xarrama e Zêzere. Também nos Açores e na Ria de Aveiro.

Texto copiado do site: https://www.pesca-pt.com/
Fotos retiradas da Internet, autores desconhecidos.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Feira d' Aires ( Viana do Alentejo )




Entre 21 e 24 de Setembro, Viana do Alentejo será o centro do Alentejo.
A Feira d' Aires vai atrair milhares de pessoas ao recinto do Santuário, sendo este o mais grandioso local de Culto Mariano situado a sul do Tejo.
Este ano, como de costume, o Projeto Alcáçovas Outdor Trails vai organizar, em conjunto com a Câmara Municipal de Viana do Alentejo, a caminhada gratuita de cerca de  8 kms, ás 09H00,  Dia 23SET, Domingo.

domingo, 16 de setembro de 2018

Igreja de S. Bento ( Vale de Vargo, Serpa )












Igreja de São Bento

Portugal, Beja, Serpa, União das freguesias de Vila Nova de São Bento e Vale de Vargo


Arquitectura religiosa, barroca, rococó. Igreja de uma nave e capela-mor totalmente abobadada, seguindo arquétipos bem enraizados na tradição construtiva do Alentejo na época moderna, acompanhamento o despojamento e a solidez estrutural que são característicos da arquitectura das ordens militares, subvertidos no seu interior pela grande riqueza da carga decorativa, mormente no que concerne aos trabalhos de argamassa relevada e fortemente policromada. O retábulo-mor denota já influências do Rococó Tardio, contaminado pontualmente pela sintaxe neoclássica.


Fotos e texto retirados da Internet, compilados pelo nosso compadre José Esteves.
Autoria das Fotos: SIPA

sábado, 15 de setembro de 2018

Rota do Fresco ( 29SET18 )


ALCÁÇOVAS INCLUÍDA NA ROTA DO FRESCO
É VISITADA EM 29 DE SETEMBRO
No ano de 2018 – Ano Europeu do Património Cultural, os Compadres convidam todos a visitar a diversidade do património do Alentejo através da iniciativa SOMOS PATRIMÓNIO, que consiste na realização de rotas temáticas por 11 municípios do Alentejo, ao longo do ano de 2018, uma Rota por cada mês e em estreita relação com eventos emblemáticos desses territórios ou com as estações do Ano.
Com esta iniciativa, a Spira procura aproximar a população local do seu património mas em direta partilha e simultaneidade com a descoberta do mesmo por parte de turistas nacionais e estrangeiros presentes no território.
Os Compadres em parceria com as 5 câmaras municipais que deram origem à Rota do Fresco: Câmara Municipal de Alvito, de Cuba, de Portel, de Viana do Alentejo e da Vidigueira - convidam para a celebração dos 20 anos da Rota do Fresco. No dia 29 de Setembro vamos visitar a diversidade do património do Alentejo através de uma rota interconcelhia, com um programa especialíssimo em que descobrimos a pintura a fresco aliada à especificidade de cada território!
A visita é gratuita e o ponto de encontro na Igreja Matriz de Alcáçovas.
Programa:
• 09h30 Alcáçovas: Visita ao Paço dos Henriques e à Capela das Conchas, com demonstração da arte chocalheira
• 11h00 Alvito: Igreja de Nossa Senhora da Assunção
• 13h00 Cuba: Almoço em taberna típica com atuação exclusiva de Cante Alentejano
• 15h00 Faro do Alentejo: Igreja de S. Luís
• 16h30 Vidigueira: Ruínas Romanas de S. Cucufate com prova de vinho da Adega Cooperativa da Vidigueira, Cuba e Alvito
• 18h30 Portel: Ermida de S. Pedro com sessão de astronomia
Condições:
• Inscrições nos postos de turismo das respetivas câmaras municipais, até ao dia 21 de Setembro;
• Transporte gratuito para a comunidade local;
• Todos os participantes têm seguros de acidentes pessoais;
• Almoço com o valor de 10,00€ por participante, pago diretamente no restaurante.