domingo, 17 de fevereiro de 2019

Convento de Nª Sra da Esperança ( Alcáçovas )












Convento de Nª Sra da Esperança ( Alcáçovas).
A Ordem Dominicana terá abandonado o convento de Nª. Senhora da Esperança, ainda no século XVIII no ano de 1776, muito antes da extinção das Ordens Religiosas em Portugal. Este facto proporcionou a formação, por alguns devotos de Nª. Senhora da Esperança, de uma comissão para administrar todos os bens pertencentes à Senhora da Esperança tais como esmolas, alfaias e animais. No entanto, esta dedicação acabaria por se diluir no tempo.
Não podemos compreender a evolução do Convento de Nª. Senhora da Esperança sem perceber a importância contínua que o culto romeiro teve no desenvolvimento do espaço, quer na vertente cultural, quer na vertente social. Facilmente se percebe que foram os romeiros e devotos de Nª. Senhora da Esperança a garantirem, pelo menos do século XV até ao século XIX, com as suas esmolas, as manutenções e preservações necessárias, para que o edifício chegasse aos nossos dias com as peculiaridades que só quem o visita pode compreender. Foi um local que continuadamente foi vivido, quer pelo povo da vila de Alcáçovas, quer pelos povos das localidades vizinhas que, num período compreendido entre os inícios de Abril e Outubro, teriam os seus dias próprios para visitarem a Senhora da Esperança em Alcáçovas.
http://www.conhecerahistoria.pt/index.php











sábado, 16 de fevereiro de 2019

Da Barragem de Pego do Altar a Santa Catarina de Sítimos














Da Barragem de Pego do Altar até á simpática Santa Catarina de Sítimos são apenas 6 kms, num percurso muito fácil e plano, quase sempre junto ás valas de irrigação dos campos de arrozais existentes a jusante desta Barragem.
Ida e volta, cerca de 12 kms, muito acessíveis, desde que não seja em época de chuvas intensas ou cheias no vale.
O Grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor disponibiliza guias locais para acompanharem caminheiros neste percurso.
O vosso sofá e a vossa televisão vão ficar muito ciumentos, mas não lhes liguem, vocês podem sempre contactar-nos para agendar uma caminhada...
trilhosalentejanos@hotmail.com

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Refrigerantes JAL ( Serpa )



Os Refrigerantes JAL foram engarrafados em Serpa durante a primeira metade do Séc. XX, na fábrica de refrigerantes local, propriedade de Jacinto António Lança.
Segundo dizem, estas laranjadas e limonadas eram mesmo muito saborosas...
Alguém se lembra de as ter provado ?

Refrigerantes JAL
Rua do Rocio, Serpa.
Telefone: 97



A colecção de garrafas de refrigerantes é fascinante, mas não só pela colecção em si, mas por tudo que a envolve e uma das partes mais interessantes deste processo é a busca por garrafas antigas. 
Mas não na internet e sim no mundo real, perto de onde estamos...  
Procure por bares ou mercearias antigos na sua região. 
Fale com os seus familiares mais velhos...
Enquanto bebe um café ou uma cerveja, converse com o proprietário da taberna, pois muitas vezes ele tem garrafas antigas esquecidas nalgum canto do depósito, ou até mesmo conheça alguém que as tenha. 
Já consegui muitas garrafas assim e mesmo a maioria eu já tendo em minha colecção, levo para casa e guardo para trocar com outros colecionadores.

Nas fotos acima, partilho convosco garrafas JAL, fabricadas em Serpa nos anos 50/60 do Séc. passado por Jacinto António Lança, Rua do Rocio, tel: 97.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Normas do Caminheiro Alcáçovas Outdoor


 O Grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor não é uma entidade profissional e/ou lucrativa de organização de passeios, mas apenas um grupo de amigos que se costumam juntar para conviver e realizar passeios em contacto com a natureza.
 A inscrição nos passeios e caminhadas organizados pelo nosso grupo não é obrigatória, mas é necessário prévio conhecimento e aceitação destas Normas.
 Os passeios e caminhadas gratuitos de divulgação organizados pelo grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor são, salvo indicação expressa em contrário, abertos a todos os interessados, que, gostando de caminhar na natureza, partilhem do mesmo espírito de convívio e sã camaradagem e aceitem as presentes Normas.
 O grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor reserva-se o direito de não aceitar, sem necessidade de qualquer explicação, a participação daqueles que entender não reunirem as condições indicadas.
 Cada caminheiro, ao participar nos passeios e caminhadas realizados pelo Grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor, assume e aceita que:
a) Reúne as condições físicas, clínicas e mentais necessárias para a realização do Passeio em que participa;
b) Está plenamente ciente quanto à dificuldade, física, técnica e mental, e à perigosidade da caminhada em que que pretende participar;
c) Está plenamente ciente de que deverá subscrever um seguro de acidentes pessoal e de responsabilidade civil que salvaguarde os riscos associados à prática do passeio em causa;
d) Está plenamente ciente de que será o único e exclusivo responsável pelos atos que pratique.
 A subscrição e existência de um seguro de acidentes pessoais e de responsabilidade civil destinado a cobrir os riscos associados à prática do passeio ou caminhada é da exclusiva responsabilidade do participante.  Em caso de acidente, a responsabilidade é única e exclusivamente do próprio participante, pelo que o grupo Pedestrianista Alcáçovas Outdoor declina desde já toda e qualquer responsabilidade por qualquer acidente/incidente que possa ocorrer durante a prática dos passeios ou caminhadas que organize, ou pela inexistência de seguros individuais de acidentes pessoais e de responsabilidade civil. 
 Todos os caminheiros, ao participarem nos passeios e caminhadas organizados pelo grupo Pedestrinaista Alcáçovas Outdoor, aceitam que sejam tiradas fotografias e que sejam publicados filmes sobre oa actividade em que participa.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Pavilhão Temático A Bolota (Portel)
























Pavilhão Temático - A BOLOTA abriu em Setembro de 2013, num espaço que no passado esteve ligado à economia do concelho - o Matadouro Municipal de Portel. Este novo equipamento turístico-cultural proporciona a descoberta e interpretação da paisagem e dos recursos locais, através dos cinco sentidos. O visitante pode aqui conhecer os valores naturais e culturais e reencontrar os saberes seculares, as memórias e as vivências de quem habita este território no coração do Alentejo – PORTEL.

       

Valorizar e promover o Montado, recurso de importância económica, ambiental e cultural para o concelho, os produtos e as atividades tradicionais que lhe estão associadas, bem como potenciar saberes e práticas que marcam uma identidade coletiva fundada no presente e orientada para o futuro, são os objetivos deste espaço. A Bolota integra uma forte componente de animação e dinamismo económico através das diferentes exposições temporárias ou permanentes que acolhe, das atividades que ali se desenvolvem, nomeadamente visitas guiadas, ateliers, artesanato ao vivo, workshops temáticos e mostra e venda de produtos regionais.

     

A Bolota integra 4 espaços temáticos e uma área comercial - Sala Artesanato, Sala Cortiça, Sala Património e Sala Sentidos.