sexta-feira, 26 de maio de 2017

Castelo de Noudar










O Castelo de Noudar localiza-se na antiga vila de mesmo nome, freguesia e concelho de Barrancos.
Sentinela da raia com Espanha, ergue-se isolado em uma elevação escarpada dominando a planície circundante e a ribeira de Múrtega e de Ardila, na margem esquerda do rio Guadiana. Testemunhou, juntamente com os castelos de Alandroal, Moura, Serpa e Veiros, a ação da Ordem de Avis na região.

À época da Reconquista cristã da península Ibérica, nomeadamente desde 1167, a região foi conquistada pelas forças comandadas por Gonçalo Mendes da Maia, "o Lidador". Posteriormente, em 1253, a povoação recebeu foral do rei Afonso X de Castela, juntamente com outras localidades da margem esquerda do rio Guadiana, entre as quais Moura e Serpa, integrando o dote de sua filha, D. Brites, aquando do seu casamento com D. Afonso III nesse mesmo ano.
A povoação passaria definitivamente para a Coroa portuguesa pelo Tratado da Guarda (1295), que estabelecia a paz entre D. Dinis (1279-1325) e Fernando IV de Castela.

Fotos da autoria do nosso comapdre e amigo Francisco Fadista.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Dia da Espiga


Quinta-Feira da Ascensão e Dia da Espiga
Em primeiro lugar é preciso referir que são duas celebrações distintas, além de se comemorarem no mesmo dia. A Quinta-Feira da Ascensão, também conhecida por Festa da Ascensão, é uma celebração cristã que acontece em todo as cristãs. Por sua vez o Dia da Espiga, também conhecida por Quinta-feira da Espiga, é uma celebração portuguesa que acontece na Quinta-Feira da Ascensão.
A Quinta-Feira da Ascensão, como festa cristã que é, celebra a ascensão de Jesus ao céu. Os primeiros registos documentais conhecidos desta celebração datam do século V, embora existam relatos que é de origem apostólica. A quinta-feira da ascensão acontece 39 dia após o Domingo de Páscoa, não tendo assim uma data fixa. A data mais precoce possível é 30 de Abril, e 3 de Junho a mais tardia. Esta celebração chega mesmo a ser feriado nacional nalguns países.
O Dia da Espiga, ou também vulgarmente chamado de Quinta-Feira de Espiga, é uma celebração Portuguesa de culto Pagão que se realiza no mesmo dia que a quinta-feira da Ascensão. Neste dia manda a tradição sair se para o campo para ter contacto com a natureza e colher espigas e flores, para assim formar o tão conhecido Ramo da Espiga. O ramo da espiga é composto por diversas plantas campestres em que cada uma delas tem um simbolismo. Uma espiga, que simboliza o pão, um malmequer, que simboliza a fortuna, uma papoila, o amor, um ramo de oliveira, que simboliza a paz, alecrim, que simboliza a saúde, e a videira, que simboliza a alegria. Diz a tradição que o ramo deve ser pendurado por detrás da porta de entrada de nossas casas, e só deve ser retirado no ano seguindo, aquando a substituição por um novo.
A comemoração desde dia acontecia um pouco por todo o país. As gentes saíam para o campo, vestidas a rigor, num clima de festa e bailarico. Os piqueniques e merendas inundavam as paisagens. Testemunho disso é a tradicional moda alentejana “Quinta-Feira da Ascensão” que nos conta como seguiam as moças para o campo.

Hoje em dia o Dia da Espiga perdeu a festividade de outros tempos. No entanto existem ainda locais no nosso país que o comemoram, sendo o seu feriado municipal. São o caso do município de: Alcanena, Alenquer, Almeirim, Alter do Chão, Alvito, Anadia, Ansião, Arraiolos, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Beja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Estremoz, Golegã, Loulé, Mafra, Marinha Grande, Mealhada, Melgaço, Monchique, Mortágua, Oliveira do Bairro, Quarteira, Salvaterra de Magos, Santa Comba Dão, Sobral de Monte Agraço, Torres Novas, Vidigueira e Vila Franca de Xira.

Texto e foto copiados do Site: http://conheceralentejo.pt/

Almarte (Almodôvar)


As artes de rua voltam a “mandar” em Almodôvar durante o Almarte- Festival Internacional de Artes na Rua, que decorre de 26 a 28 de Maio, sexta-feira a domingo.
Ao longo de três dias, a vila alentejana vai-se encher de «estátuas vivas, grafiti, música itinerante, magia, artes circenses, cante alentejano, fanfarra e majoretes, Ioga do riso, modelagem de balões, pinturas faciais, artesanato e teatro de rua».
A música, tocada em palco, também se fará ouvir. No dia 26, sexta-feira, o artista convidado é Paulo Ribeiro.
No sábado, o cabeça de cartaz é Tiago Bettencourt (ex-Toranja), mas quem visitar Almodôvar também poderá ver a atuação de Valas. No domingo, sobe ao palco a fadista Kátia Guerreiro, a formação de flamenco “Hermanas Romero” e “Monda”.
Com este cartaz e a muita animação que percorrerá as ruas da vila, Almodôvar espera atrair milhares de visitantes.
«Este é já um evento com provas dadas e consolidado a nível nacional e internacional, […] que mexe com o nosso comércio, o nosso turismo, a nossa hotelaria e restauração, o que é sempre uma lufada de ar fresco para a nossa economia», segundo a Câmara de Almodôvar.
O ALMARTE – Festival Internacional de Artes na Rua, é uma organização do Município de Almodôvar e é co-financiado por fundos comunitários ao abrigo da ajuda financeiro do Alentejo 2020.
As entradas são gratuitas.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Nas margens do Guadiana ( Pedrogão do Alentejo)










Desta vez, o caminho levou-me á bonita vila de Pedrogão do Alentejo, onde uns afloramentos rochosos nas margens do Rio Guadiana me chamaram a atenção. Que coisa mais surreal !...
O compadre e amigo Domingos Caracóis prestou-se para me guiar naquele enorme labirinto de rochas e após uma pequena caminhada da vila até lá, coisa de meia-hora, posso dizer que valeu a pena !...
Pedrogão do Alentejo está situada no concelho da Vidigueira, junto á Barragem do Pedrogão...


terça-feira, 23 de maio de 2017

No Festival Islâmico de Mértola






















No passado fim de semana fomos até Mértola, a vila que nos convida a saborear os sons, os sabores e os saberes dos tempos do Al-Andalus, através dum excelente e bem organizado Festival Islâmico...
É esta capacidade para interagir com outros povos e culturas que faz de nós, os Portugueses, um povo muito especial.
De facto, se analisarmos bem o nosso passado, qualquer um de nós possivelmente tem uma mistura de sangue Celta, Judeu, Mouro, talvez até Africano ou Asiático, etc, etc...

A Mértola islâmica dos dias do Festival enche-se de uma mistura de sonoridades de cá e de lá, do outro lado do mediterrâneo.
No “souk”, os cabedais, as djellabas, o incenso, o sândalo, o chá de menta, as especiarias e a mistura de vozes árabes e lusitanas dão cor, aroma e melodia especial às ruas cobertas de tecidos; refúgio perfeito para a luz do sol.
http://www.festivalislamicodemertola.com/ )


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Chorume de Urtigas

Há muito tempo que é conhecido o valor do chorume de urtigas como um produto natural e eficaz.
Devido aos seus elevados níveis de magnésio, enxofre e ferro, pode ser usado como um fertilizante líquido para estimular o crescimento das plantas e as proteger de várias doenças.
Por ter uma grande quantidade de azoto, pode ainda ser usado como um ativador natural do seu composto.
São também conhecidas as suas capacidades como inseticida natural e repelente muito eficaz contra ácaros e pulgões.

Trata-se de um líquido concentrado obtido através da maceração de urtigas ao longo de vários dias.
A preparação deve de preferência ser feita ao ar livre e sempre bem protegido com luvas de borracha e roupa adequada (mangas compridas) para evitar as irritações na pele provocadas pelas “picadas”.

Preparação
1 Kg de urtigas frescas e ainda sem flor.
10 L de água – de preferência sem cloro.
Um recipiente grande de preferência de madeira. Pode ser de plástico mas nunca de metal.

Colocar as urtigas de molho na água e tapar. Se possível deixar à sombra.
O processo de fermentação começa quando surgirem bolhas à superfície.
Mexer de a cada dois dias para libertar o gás acumulado.
Com o passar dos dias, a fermentação vai intensifica-se e começar a cheirar muito mal. É bom sinal.
O processo pode durar 10 ou mais dias. Com temperaturas mais elevadas pode levar menos tempo.
Quando já não houver bolhas é sinal que parou a fermentação. Está pronto.
De seguida, côa-se bem a mistura.
Não deve ficar vestígios da planta. Isso pode estragar o concentrado e diminuir a sua durabilidade.

Guarde num recipiente fechado em local fresco e sem luz solar. Nestas condições pode durar vários meses.

Se não dispõe de espaço ou de tempo para preparar o seu próprio chorume ao ar livre, ou não quer “apreciar” o cheiro desagradável do produto em fermentação, pode procurar em lojas especializadas.
Existem há venda fórmulas biológicas de chorume em forma liquida ou em pó para diluir.
Utilização
Como inseticida - Para os pulgões (piolho), deixar macerar apenas 12 horas e aplicar puro sobre as plantas atacadas.
Como estimulante foliar - Diluído a 10% - 1L de chorume para 10L de água.
Como estimulante do solo e raízes - Diluído a 20% - 2L de chorume para 10L de água.
Para favorecer a germinação das sementes – Mergulhe as semente por 30 minutos no máximo se for em extrato puro ou por 12 horas se for em extrato diluído a 20%.
Oídio do tomateiro -Para evitar o ataque pode utilizar preventivamente chorume de urtigas.

Copiado integralmente do site: http://www.hortasbiologicas.pt/

domingo, 21 de maio de 2017

Praia da Comporta










A Praia da Comporta insere-se nos limites da Reserva Natural do Estuário do Sado, o que lhe permite preservar toda a sua beleza natural. Desde as dunas, a todo um imenso pinhal circundante, a Comporta tem o previlégio de reunir condições óptimas para cativar o mais exigente visitante. Com dois restaurantes e um quiosque com revistas e jornais internacionais, que lhe dão o prazer de passar aqui todo o dia.
Com um extenso areal, que se estende sobre o oceano, a praia tem caracteristicas, que pelas suas ondas e algum vento consegue atrair praticantes da modalidade de Kitesurf e surf.
Com um estacionamento de tamanho considerável, juntamente a bons apoios de praia, podemos seguramente disfrutar na Comporta de um excelente dia de praia.
Texto: https://www.guiadacidade.pt/pt