segunda-feira, 4 de abril de 2016

Igreja Matriz de Campo Maior









A Matriz da vila alentejana de Campo Maior foi erguida no ano de 1570 pela vontade do seu povo, vindo somente a ser consagrada em 1646, tendo por titular N. Sra. da Expectação. 
É uma obra sóbria e harmoniosa da arquitetura maneirista portuguesa, tendo sofrido obras de restauro e remodelação em épocas subsequentes.
Edificada entre 1570 e 1646, N. Sra. da Expectação veio substituir a antiga matriz trecentista intramuros, que era já demasiado pequena para albergar um número cada vez maior de fiéis. Caracteriza-se por linhas de grande sobriedade, próprias da arquitetura maneirista, embora não seja isenta de uma certa monumentalidade. 
Acedendo-se por uma escadaria, a fachada da igreja é delimitada por duas torres sineiras altas, marcadas por pináculos e cobertas por cúpulas. O pano central da frontaria é rasgado por um largo arco abatido formando um átrio que abriga um portal simples com frontão triangular. Superiormente estão as três janelas do coro, duas rematadas por frontão triangular que ladeiam a central, de frontão curvo. Antes da cimalha abre-se um óculo simples, unindo superiormente a parte central da frontaria às torres sineiras, uma balaustrada com pináculos e resguardando a recuada empena triangular do templo. 
Na face sul do templo está a Capela dos Ossos, espaço totalmente revestido por ossadas dos defuntos e que ostenta uma macabra inscrição latina afirmando: "Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos". 
O interior é amplo, dividido em três naves ritmadas por altas pilastras que sustentam uma abóbada de cruzaria. Nas colunas que delimitam o cruzeiro foram adossados os quadrangulares púlpitos de mármore branco. Os diversos retábulos adotam os mármores coloridos, deixando uma forte impressão de movimento nos seus diversos jogos de linhas sinuosas. O batistério é um espaço simples e sóbrio, guardando uma pia batismal gótica, obra anterior à edificação da igreja. 
A capela-mor, coberta por uma abóbada de berço, é marcada pelo seu grandioso retábulo de mármore e por duas poderosas tribunas, sob as quais se alinha o cadeiral do templo. Várias esculturas povoam os altares, bem assim como algumas telas, com destaque para a do retábulo-mor, alusiva a N. Sra. da Expectação. 
A Matriz de Campo Maior foi classificada em 1949 como Imóvel de Interesse Público ( I.I.P.).

Fotos gentilmente cedidas pela nossa comadre Anabela Fialho.