segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Rota dos Vinhos




As características da “sui geniris” ruralidade alentejana podem ser analisadas pela prespectiva dos variados tipos de actividades agrícolas; quais eram e como se desenvolviam e qual a sua evolução através dos tempos.
Através da ruralidade da Pátria Alentejana sabemos das suas raízes, suas tradições e da sua história e consequentemente percebemos algo que temos que preservar – a nossa herança cultural, pois é a nossa identidade cultural que nos distingue como Alentejanos.
O Alentejo, como região que foi predominantemente agrícola, moldou o carácter das suas gentes. A solidão da planície, a agressividade da charneca e a sua rusticidade, moldaram a Alma Alentejana
Com influências de povos como os fenícios, os gregos, os romanos e os árabes - que trouxeram hábitos mediterrânicos e influenciaram a alimentação do Alentejo, baseada em pão, azeite e vinho - nesta região portuguesa encontra espaços rurais com ambientes únicos e uma riqueza histórica e arquitectónica bem preservada. Terra de gente e tradição que mantêm a sua originalidade com o passar dos séculos, pela sua cultura e costumes, assim como na arte de bem receber. Os alentejanos têm espaço para viver e são felizes na sua terra.
Região de grande aptidão na produção de vinhos, de marcada qualidade, o Alentejo surpreende com excelentes néctares! 

Uma rota de vinhos a não perder! 
Na Rota dos Vinhos do Alentejo são locais de parada obrigatória: a Fundação Eugénio de Almeida, em Évora; a Herdade dos Coelheiros, em Igrejinha, Arraiolos; Roquevale, Monte Branco, Redondo; a Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, etc, etc…..
Como em final de Agosto e Setembro começam as vindimas, nada melhor do que ir nesta época até ao Alentejo visitar as zonas dos vinhedos e apreciar as actividades rurais a eles ligadas.
Texto da autoria da nossa comadre e amiga Ana Maria Saraiva,
https://www.facebook.com/groups/imagensdoalentejo/
Fotos tiradas na Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz).