terça-feira, 22 de março de 2016

Vera Cruz de Marmelar







A povoação hoje denominada Vera-Cruz possuiu em tempos a designação de Marmelar ou pelo menos era conhecida como o lugar de S. Pedro de Marmelar em documentos do Sec:XIII constantes do "Livro de D. João de Portel".
Estabelecido D. João Peres de Aboim no novo termo de Portel, fez doação da sua herdade do "Marmelal" à Ordem Hospitaleira de S. João de Jerusalém, depois de Rodes e por fim de Malta, da qual era Mestre o prior Afonso Pires Farinha e onde se veio a constituir a Comenda de Vera-Cruz.
Nesse herdamento procedeu-se à construção ou reconstrução, porquanto é possível já existir no local um monumento visigótico, de um Mosteiro dedicado a S. Pedro e conhecido por S. Pedro de Marmelar. É este templo que irá receber, provavelmente depois de 1278, a célebre relíquia da Vera-Cruz (Santo Lenho- verdadeira Cruz de Cristo) "que se supõe ter sido adquirida na Palestina, durante a 7ª Cruzada do Ocidente". Esta relíquia era destinada à Sé de Évora não ficando lá de imediato, por o novo edifício ainda se encontrar em construção. Recolhida a relíquia em S. Pedro de Marmelar e iniciando-se aqui fervorosa veneração que se alastrou a todo o País tendo, inclusivé, estado presente na Batalha do Salado como talismã do exército do Rei Afonso IV, verificou-se oposição à sua retirada para a Sé de Évora originando "a fragmentação do Santo Lenho em duas partes - uma para ficar em S. Pedro de Marmelar e outra destinada à Igreja Eborense".
O edifício mais importante da povoação é a Igreja-Mosteiro que recolhe a relíquia do Santo Lenho e onde também está sepultado D. João Peres de Aboim. A estrutura arquitectónica medieval apenas se denota na cabeceira sendo os restantes componentes resultado de intervenções posteriores.

Texto copiado do site :  http://www.cm-portel.pt/pt/