sábado, 11 de fevereiro de 2017

Alpalhão - Terra de Granitos





ALPALHÃO - terra de granitos
Em 2001, ocorreu a primeira Bienal da Pedra, em Alpalhão.
Nesta Bienal fizeram-se diversas esculturas, que se encontram espalhadas pela vila.


Alpalhão é uma típica localidade Alentejana de baixo casario caiado de branco, alegrado por coloridas fixas que emolduram janelas e portas, de feição mormente rural.

Esta pitoresca vila engloba um invejável património na calmaria das suas ruas que assistem ao passar da história atentamente, como o que hoje em dia resta do Castelo, mandado edificar no reinado de D. Dinis, subtilmente inserido na malha urbana, resistindo somente pedaços de muralha e vestígios de torres.
O cruzeiro da vila, do século XVI, bem na entrada de Alpalhão, foi construído no granito azul da região, preparando o visitante para outros monumentos locais como as Igrejas Matriz e da Misericórdia (século XVIII), ou as Capelas de São Pedro (Século XVI), de São Sebastião (século XVII, situada já fora do centro, na estrada em direcção a Castelo de Vide) e a do Calvário datada do século XVI. 


Na região existem diversos vestígios megalíticos comprovando a ancestralidade destas paragens, ricas em monumentos ainda anteriores à romanização da península Ibérica.

Por toda a vila encontram-se diversos monumentos em Pedra, num esforço conjunto de preservar e divulgar este importante património natural tão próprio da região, como a “Anta de Alpalhão“, a “Arca”, os “Peixes”, as “Sobreiras“, a “Sereia”, entre tantos outros trabalhos de autoria de vários artistas de renome.

Interessante é a Casa-Museu de Alpalhão, retratando uma casa típica e rural da vila, demonstrando estilos de vida e tradições antigas. O jardim de Alpalhão possibilita, também, agradáveis passeios e actividades de lazer, destacando-se, também, um importante legado cultural desta região: a Praça de Touros, situada no Monte Filipe. 


Texto copiado do site: www.guiadacidade.pt
Fotos da autoria da nossa comadre Clara Almeida.