quarta-feira, 19 de abril de 2017

Base Aérea de Beja ajuda a salvar refugiados no Mediterrâneo


Uma aeronave P-3C CUP+ da Força Aérea Portuguesa, ao serviço da NATO na operação “Sea Guardian”, detetou, no dia 15 de abril, uma embarcação de borracha com aproximadamente 100 migrantes a bordo.
A missão de vigilância marítima, a cargo da tripulação da aeronave P-3C Cup+, da Esquadra 601 – “Lobos”, ( Esquadra de aeronaves cuja base de origem é a de Beja), permitiu encaminhar para o local meios de salvamento e proceder ao resgate dos migrantes, que se encontravam numa embarcação em elevado risco de naufrágio.
Nesta missão foi patrulhada uma área superior a 550.000 Km2 durante aproximadamente nove horas de voo.
Recorde-se que participam na operação “Sea Guardian”, da NATO, desde dia 12 de abril, uma aeronave P-3C Cup+ e 27 militares da Força Aérea Portuguesa.
Esta operação, que veio substituir a "Active Endeavour", conta com a participação de meios aéreos e de superfície da Aliança Atlântica, com a finalidade de patrulhar e de monitorizar o Mar Mediterrâneo. 

O objectivo: dissuadir, defender e proteger os Estados aliados contra ataques terroristas.


Nota:
É com imenso orgulho que partilhamos esta noticia neste nosso blogue.
Ao contrário do que muitos pensam, os militares não servem para fazer a guerra, mas para manter a paz.
E, ao salvar vidas humanas, os nossos militares honram a sua Pátria e a bandeira que envergam no seu uniforme.
A Base Aérea de Beja está na primeira linha de frente no combate ás redes de tráfico humano, além de ajudar a defender o flanco Sul da Europa...
Como escreveu Camões: Honra-se a Pátria de tal Gente...