sábado, 15 de fevereiro de 2014

Judeus em Elvas

A cidade de Elvas, recém nomeada Património Mundial da Humanidade da Unesco era, durante a idade média, uma das 6 mais populosas de Portugal. A influência de árabes e judeus, com a existência de mesquitas e sinagogas constituiu essa importância.
O vasto centro histórico é cercado de muralhas, aliás, das mais imponentes e significativas do país.
Desde 1386 que existem provas documentais sobre a existência de judiaria em Elvas. A Velha, localizada exteriormente à Alcícova, englobava provavelmente as Ruas Nova (ou do Alcamin) a das Portas de Olivença e Évora.
A Nova envolveria mais a zona da Praça Nova, Rua da Feira, Rua Carreira dos Cavalos.

Já em tempos dos cristãos-novos muitos dos descendentes alastraram a habitações na Praça, rua da Feira e junto às Portas de Olivença e Évora. Também em Vila Boim existiu uma terceira judiaria. Em 1438, D. Afonso V fax carta de mercê de Rabi a Mestre Abraão, como responsável dos judeus da cidade.
As cantigas de amor de Vidal, judeu d’Elvas, escritas entre 1320 e 1340 são exemplo de um ambiente já então muito presente no início do séc XIV.


LOCAIS A VISITAR

Centro Histórico
Judiaria
Fonte de Sta Luzia – Museu Militar
Torre Fernandina (séc XIV) – História das muralhas
Centro Interpretativo do Património (nas antigas casernas do Regime de Infantaria)
Museu de Arte Contemporânea (no antigo hospital)
Património Arqueológico do concelho (períodos neo-calcolítico, do ferro, romano e medieval)
Igreja De Nª. Srª. Assunção (antiga Sé-Catedral de Elvas)
Posto de Turismo – Praça da República
Telefone: 268 622 236
turismo@cm-elvas.pt

Informação retirada do blog: http://questomjudaica.blogspot.pt/