sexta-feira, 4 de julho de 2014

Ti Zé o "amola tesouras"


Ti Zé o "amola tesouras" de 69 anos de idade, natural de Estremoz, percorre a região do Alentejo em cima da bicicleta e ao som da gaita, chama os clientes que pretendem ter as facas e tesouras afiadas.



"A música da gaita, diziam os antigos que trazia chuva...e batia certo, mas agora desde que começaram a subir para a Lua, estragaram tudo. Está tudo estragado e tudo mudado", afirma.
Para amolar uma faca de cozinha este homem que ainda vai carregando a tradição pelo Alentejo diz que cobra entre um a quatro euros para afiar as facas, dando garantia do seu trabalho, porque ainda usa a palavra como caução.


No entanto a clientela já não é muita, porque as pessoas nas aldeias tem pouco dinheiro e muitas por onde passa com o som da gaita parecem desertas. Esta profissão em vias de extinção parece para já não ter continuação... 
A percorrer as localidades do Alentejo em cima da bicicleta e ao som da gaita ainda vai avisando as pessoas das terras por onde passa que o amola tesouras está ali.


Rezava o ditado que quando passavam os amola tesouras com a sua gaita a tocar a melodia que os caracteriza, que traziam chuva no dia seguinte. Mas de facto o Ti Zé tem razão...está tudo mudado. Já passou quase uma semana da sua passagem por aqui a ainda nem uma gota de chuva.
Passe bem Ti Zé...até um dia destes.