quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Napoleão Mira e Reflect - 12 Canções Faladas


Um homem que edite o primeiro trabalho discográfico, em nome próprio, aos 60 anos, é louco. Se não é louco, então algo de surreal aconteceu.
Julgo que o resultado destas 12 Canções tem um pouco das duas hipóteses.
Quando o Pedro Pinto — também conhecido por Reflect — me contactou para gravar o poema “Foi Chuva” da malograda Carolina Tendon, estava muito longe de imaginar que o resultado desaguaria no registo que agora tem nas suas mãos.
Nessa noite fria em que fui registar a voz desse texto invernil, levei comigo um outro: “Máscaras de Orfeu”.
Pedi-lhe que mo deixasse gravar para ver como saía. Quando terminei, o Pedro e os restantes elementos da banda saíram da régie com cara de caso. Perguntaram-me se tinha mais material daquele calibre. Respondi-lhes que sim e, logo ali, lhes lancei o repto de musicarem o tema em questão.
Uma semana volvida, fui convidado a regressar ao estúdio para aquilatar do resultado. Estava perfeito.
A partir daí, regressei uma vez e outra à Kimahera. Ensaiámos, gravámos e musicámos outros temas, até chegarmos à conclusão que não devíamos guardar o resultado dessas madrugadas de criação só para nós.
Dessas noites de insónia nasceu a performance de spoken word: 12 Canções Faladas e 1 Poema Desesperado.
O abrupto desaparecimento da Carolina foi um choque. Um choque terrível e brutal. Porém gosto de pensar que, lá das planícies eternas onde agora habita, terá o poder de mexer uns cordelinhos, de alinhar uns quantos astros, de modo a que levemos a nossa — e a sua! — poesia aos corações de quem na quiser escutar. Quero acreditar que foste o clique, o tal fio condutor que resultou nesta feliz parceria.
Obrigado, Carolina!