quinta-feira, 10 de novembro de 2016

EN 2 - A nossa "Route 66"



Alcáçovas

Montemor-o-Novo

Casa Branca

Santiago do Escoural

Ferreira do Alentejo

Odivelas

Torrão
Aljustrel
Ervidel

Ponte de Sôr

Castro Verde

Almodovar

Mora




A histórica rota 66, nos Estados Unidos, berço do primeiro Motel e do primeiro McDonald's do mundo, foi imortalizada por Hollywood. Esta estrada museu norte-americana começa em Chicago, Illinois, e atravessa os estados do Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, Novo México e Arizona terminando em Santa Mónica, na Califórnia, totalizando 3 755 km.
Mas Portugal, e o Alentejo, não devem invejá-la: nós temos a EN2.
A Estrada Nacional 2 tem um total de 738,5 quilómetros, o que faz dela a terceira mais longa do mundo, a seguir à Route 66, nos Estados Unidos e à Ruta 40, na Argentina. 
A EN2 atravessa 36 concelhos, grande parte alentejanos, vai ter também a sua rota turística, com enfoque para locais de alojamento, património e restauração, além de pontos de interesse histórico. Para o efeito foi constituída formalmente, no passado dia 5 de novembro, a Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 (EN2), por escritura pública, realizada no município de Santa Marta de Penaguião.
Através da criação desta associação pretendem-se explorar as potencialidades de cada Concelho, bem como promover, junto de quem a percorre, a identidade e o património português na sua diversidade de costumes, gastronomias e paisagens, à semelhança do cariz turístico associado à mítica Route 66.
Para além do âmbito nacional, pretende-se a internacionalização da Estrada Nacional 2, num projeto socioeconómico que visa, entre outros aspetos, combater a desertificação do interior do país e oferecer uma alternativa turística de excelência ao litoral do território.
O Presidente do Município de Viana do Alentejo, Bengalinha Pinto, participou no ato fundacional da Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 (EN2) e considera que se trata de um "projeto importante para o futuro do nosso Concelho e, por isso, a ele aderimos desde a primeira hora”. Bengalinha Pinto acredita “que esta rota turística vai ajudar a criar riqueza em cada um dos concelhos que atravessa, através da divulgação de todo o seu património”.