segunda-feira, 27 de março de 2017

Carne de Conserva



Hoje retirei da minha mochila o livro de recordações e viajei até à gastronomia da minha infância...
Belos dias de férias passados no campo, onde a água límpida da ribeira nos convidava a nadar no verão, e onde se pescava peixe para a caldeta temperada com hortelã da ribeira que crescia nas margens! O sabor inconfundível do leite ao pequeno almoço acabado de ordenhar, os ovos frescos do galinheiro com os quais se faziam fatias douradas bem polvilhadas com açúcar amarelo e canela, o sabor ímpar de  uma maçã madura comida  debaixo da macieira... O calor reconfortante da grande chaminé na cozinha, onde no Inverno se  faziam  torradas de pão Alentejano  em lume de chão e se barravam com manteiga corada!...

Manteiga corada!

Quem não cresceu no Alentejo, provavelmente não sabe do que se trata!

Antigamente no Alentejo não existia electricidade. Hoje é impensável vivermos sem os nossos frigoríficos, mas os nossos antepassados mesmo sem frigorífico, desenvolveram técnicas de conservação de alimentos.
Como todos sabem o Verão no Alentejo é extremamente quente, o que acelera o processo de decomposição dos alimentos, no entanto, matava-se o porco no Inverno e a carne era conservada todo o ano.
O modo de conservação era a salgadeira. Uma arca de madeira, cheia de sal grosso, onde se introduzia a carne e os enchidos, ficando completamente tapados de sal. Depois, tapava-se com uma tampa de madeira para evitar que a luz entrasse e assim se conservava a carne de porco durante muitos meses.
Quando se cozinhava, colocava-se demolho umas horas antes para se extrair o excesso de sal.

Outra forma de conservação da carne de porco era a "Carne de Conserva"

Quando se temperava a carne para as linguiças, juntava-se a essa carne uns pedaços inteiros de febra,  toucinho e costelas de porco. 
No dia que se enchiam as linguiças, essa carne era frita em banha de porco e ficava dentro do taxo de barro, completamente tapada com a banha da fritura.
Deste modo a carne ficava conservada em banha, e podia ser consumida ao longo de um período de tempo mais alargado.

Com esta carne confeccionavam-se vários pratos típicos alentejanos, como as migas com carne de porco!

No entanto, quando se comia a carne, sobrava a banha da fritura, à qual se chamava "manteiga corada" 
Essa manteiga servia para barrar o pão!

... E posso garantir que uma torrada de pão caseiro em lume de chão, barrada com esta manteiga, é algo que não se esquece!


Deixo-vos a receita da carne de conserva!



Ingredientes

Carne de porco - (febra, costelas e toucinho)
Pimentão moído
Alho moído
sal
Banha de porco caseira para fritar





Corte a carne em pedaços médios e tempere com pimentão moído, alho moído e sal!
Deixe ficar de um dia para o outro a tomar gosto!
(Eu não coloquei toucinho)





No dia seguinte prepare o lume de chão! 

Não convém que o lume esteja demasiado forte, para a carne fritar lentamente.
A lenha deve ser de azinho!





Coloque a banha ao lume num tacho de barro até derreter.





Junte a carne temperada e deixe fritar lentamente.









Esta carne pode ser servida de dezenas de formas... desde um simples petisco para o lanche, com pão mole Alentejano e um tinto da região,  até vários tipos de migas Alentejanas!... 

Copiado integralmente do Blogue: http://viajardemochilaascostas.blogspot.pt/