quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Santa Catarina de Sítimos


















A mais antiga referência à aldeia de Santa Catarina de Sítimos aparece num documento do Arquivo do Cabido da Sé de Évora, datado de 1249, no qual surge com o nome de Setimus. Apesar do documento não referir a existência de uma igreja em Setimus, é provável que existisse um pequeno espaço de culto cristão.
Estudos recentes permitem supor que o culto a Santa Catarina, Virgem Mártir de Alexandria, era bastante comum entre os cruzados do norte da Europa que regularmente aportavam nos portos portugueses a caminho da Terra Santa ou participando na conquista de cidades, como aconteceu em Alcácer do Sal por várias ocasiões, a última das quais em 1217.
É curioso constatar que nesse século XIII aparece o culto de Santa Catarina, da Santa Úrsula e de S. Vicente, que eram fervorosamente objecto de culto e peregrinação no norte da Europa. Supõe-se que tenha sido da iniciativa de algum cruzado que tenha ficado por Alcácer após 1217, porque a documentação conhecida fala da presença de colonos cruzados em várias povoações portuguesas. Em 1565 era capela curada e em 1758 era sede de Freguesia e pertencia à jurisdição da ordem de Santiago.
A actual igreja é uma construção simples e bonita que merece uma visita demorada. (C.M. Alcácer do Sal)