segunda-feira, 28 de maio de 2018

Museu do Chocalho








 





Museu do Chocalho ( 2013)
Colecção Privada de Chocalhos, reunidos ao longo da vida pelo Mestre Chocalheiro João Penetra, na sua Oficina em Alcáçovas. Actualmente encontra-se encerrado.

Enrolar, pôr o céu e a asa - "Depois começa-se a moldar - chama-lhe a gente enrolar o chocalho - com o martelo, na bigorna; faz esta composição, dobrou, chama-lhe a gente meter os cantos, que é para fazer a orelha do chocalho onde segura a asa para pendurar, p'ra meter a coleira e segurar ao pescoço do animal. A seguir abre-se um buraco que é para meter o céu, onde se pendura o badalo para fazer tocar o chocalho - a gente corta umas tiras da própria chapa ao tamanho do chocalho que está a fazer. À ponta faz-lhe as pestanas. (…)O nome céu já vem de muito atrás. Uma das vezes vou a uma feira, à feira de Garvão, e há um moiral que olha p'ra mim e diz-me assim: Ó amigo, você sabe qual é o mestre que trabalha mais alto que todos? E pá, eu nunca tinha ouvido isso e disse: não sei, não senhor. Então você não sabe ? Pois claro que não. É o chocalheiro, porque trabalha por cima do céu (do céu do chocalho), quando está a pôr a asa. Portanto o céu está aqui e agora põe-se a asa aqui por cima. (…)”
Por as marcas – "A seguir é que se põem as marcas de fabricante ou de casas agrícolas. Esta marca que está aqui é minha, esta outra era do meu pai (…)”

O que aqui se transcreve, é em parte feito a partir do estudo e recolha etnográfica de José Monarca Pinheiro. Mas as palavras, puras e autênticas, repetidas sem enfado nem monotonia ao longo de anos de labor ou na orgulhosa mostra dos variadíssimos exemplares de chocalhos e mangas, são as mesmas que ouvimos do Sr. João Chibeles Penetra, “o Mestre que trabalha por cima do céu”.


Texto retirado com a devida vénia do Blog a aldraba