segunda-feira, 24 de junho de 2013

CAOS em Alcácer do Sal (By Carlos Caetano)









Proposta de Passeio de Fim de Semana: Passear em Alcácer do Sal.

Desta vez, mostro-vos as fotos do compadre Carlos Caetano, tiradas no passado dia 15JUN numa caminhada CAOS, que teve como organizador principal o compadre Manuel Madeira.
CAOS, como já devem saber, significa "Circulo de Actividades Oxigénio e Sol" e trata-se de um enorme grupo de amigos pedestrianistas que gostam de caminhar e conviver aonde houver um organizador "carola" a criar um evento, seja caminhada ou passeio cultural, desde que seja gratuito.

O concelho de Alcácer do Sal, encontra-se situado à beira do estuário do Sado. Integra o distrito de Setúbal , juntamente com mais doze concelhos, tendo uma área de 1.465,3 Km2, com uma população a rondar os 14.000 habitantes integrados em seis freguesias.
As origens de Alcácer do Sal diluem-se no tempo. Ao longo dos anos foram encontrados vestígios das mais diversas origens. Desde artefactos do paleolítico inferior com cerca de 40.000 mil anos, passando por vestígios da presença de povos do mesolítico na zona de Comporta, testemunhos das primeiras produções de cereais e de criação de gado, sinónimo de sedentarização. Na idade do ferro, Alcácer do Sal destaca-se em toda a região chegando a ter a sua própria moeda.
Com a chegada dos romanos, Alcácer do Sal tem um desenvolvimento repentino, constituindo-se a ”Salatia Urbs Imperatoria”, continuando a cunhagem da sua própria moeda, como era habitual nos centros de grande desenvolvimento da época. A economia desenvolveu-se com base no comércio das lãs e principalmente do Sal, sendo o rio Sado o meio preferencial de comunicação e de trocas comerciais.
Passando a cidade episcopal no período visigótico, é nomeado seu primeiro bispo, São Januário.
“Alqasr Abu Danis” foi como foi denominada Alcácer do Sal no período Islâmico.
Os confrontos entre cristãos e muçulmanos, foram a partir do século XII uma realidade desta povoação. D. Afonso Henriques aqui os combateu (1158), atribuindo-lhe o primeiro foral. D. Sancho I aqui também combateu os muçulmanos no ano de 1191, ficando definitivamente reconquistada no ano de 1218, já no reinado de D. Afonso II.
Com o poder cristão instaurado, Alcácer do Sal é entregue à Ordem de Santiago.
D. Manuel I, aqui é aclamado no ano de 1495 rei de Portugal. No ano de 1502 Pedro Nunes nasce nesta localidade, tornando-se um reconhecido matemático.
No decorrer do século XVI, a produção de sal torna-se extremamente importante, reflectindo-se num desenvolvimento económico de grande importância, o que possibilita nesta época a construção de palácios, igrejas, conventos e monumentos que são o testemunho nos nossos dias do papel importante que Alcácer do Sal teve naquela época.