quarta-feira, 26 de março de 2014

António Isidoro de Sousa



"O Dr. António Isidoro de Sousa, no início do séc. XIX, foi o grande impulsionador do desenvolvimento da vila de Viana do Alentejo,
tendo aí desenvolvido actividades que o transformaram em pioneiro no cooperativismo e associativismo em Portugal.

Filho do médico António José de Sousa e de Maria José de Sousa, nasceu em "Vianna do Alemtejo" no dia 4 de Abril de 1843 e faleceu,
na mesma localidade, no dia 19 de Dezembro de 1914.

No Instituto Agrícola, concluiu o curso de "veterinário-lavrador"
em 1864. Exerceu os cargos de Intendente da Pecuária em Évora e Coimbra, onde contactou com figuras proeminentes da "Geração de 70", como Antero de Quental e Eça de Queirós. Posteriormente, é colocado como agrónomo distrital em Beja. Foi convidado para exercer vários cargos, como professor da Escola Veterinária de Lisboa, Director Geral da Agricultura, Deputado e Governador Civil, tendo-os recusado a todos para, in loco, se dedicar à sua terra natal, começando por promover
a criação da "Liga dos Lavradores do Baixo Alentejo" depois de fixar residência em Alvito.

Após a morte do seu pai, apoia e incentiva, em 1881, a divisão da Herdade do Palanque em 123 courelas, que foram arrematadas em Março de 1882. Promoveu a criação da sociedade cooperativa "União Vinícola e Oleícola do Sul", em Vianna do Alemtejo, no final de 1892, tendo assumido a sua gerência em 1893. Neste ano, a U.V.O.S. promoveu a última arrematação das 109 courelas em que fora dividida
a herdade Cegagatos. A Cooperativa construiu, junto à estação
de caminho de ferro de Viana, a "Adega Social" para o fabrico nacional dos vinhos da região. Instalou uma "Estação de Ensaios", onde eram divulgadas novas espécies de vinha e de produtos horto-frutícolas, demonstradas modernas técnicas agrícolas, ensaiados adubos químicos e instalado um posto de observação meteorológico.

Em 28 de Outubro de 1893, a U.V.O.S., pela mão de António Isidoro
de Sousa, conseguiu que o governo autorizasse a criação
da "Escola-Oficina Médico Sousa", que seria administrada financeira
e disciplinarmente pela Cooperativa, enquanto que a Direcção e Inspecção Técnica era da responsabilidade do ministro Dr. Bernardino Machado, que na altura fomentava o Ensino Industrial.

Esta escola dedicava-se ao ensino prático dos processos relativos aos ofícios de Oleiro, Forneiro de Loiça e Pintor de Cerâmica, actividades com muita implementação na vila.

É nesta escola que se encontram as raízes da actual Escola B2,3/S
Dr. Isidoro de Sousa de Viana do Alentejo.

Em 1895, aquando da extinção do concelho, é eleito Presidente da Comissão de Vigilância, tendo promovido uma grande movimentação em prol da restauração e ampliação do Município de Viana.
Reinstala a Comissão de Pastos em 1896, a qual fomenta a construção de uma fonte. Aquando da restauração do Concelho, em 1898, torna-se Presidente da Câmara. No desempenho destas funções, foi responsável pela construção de fontes, pelo loteamento de terrenos para
a construção de habitações e, por último, no ano do seu desaparecimento, em 1914, interferiu junto do governo para que fosse autorizada a divisão da Herdade da Vinagra em 123 courelas.
Pela mão do Dr. António Isidoro de Sousa a configuração
de Viana do Alentejo, ainda hoje, se distingue da de todas as outras regiões alentejanas."

Copiado do blog: http://vianadoalentejo.blogspot.pt/