quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Compadres Colhereiros








Há pouco tempo, fui dar uma volta de BTT para desanuviar, saindo de Alcáçovas sem um rumo certo, decidi que iria até onde a minha velha mareca me quisesse levar. Passei o Cemitério, a  Zona Industrial e comecei a percorrer a estrada de terra batida até ao Monte de Entre-Matas. Aí, lembrei-me em boa hora de fazer uma visita á Barragem de Alcáçovas, ( no Rio Xarrama e mais conhecida localmente pela Barragem do Núncio ) e se bem o pensei, melhor o fiz...
Chegando lá, deparei-me com um enorme bando de pássaros brancos, que ao inicio julgava serem Flamingos. Estava enganadissimo: Quando cheguei a casa, publiquei as fotos no Facebook e logo o compadre Armindo Alves, fotógrafo especializado em natureza, me alertou para o facto de serem Colhereiros. Estas aves são realmente raras pois enfrentam uma rápida deterioração e perda do seu habitat.

O Colhereiro (Platalea leucorodia) pertence à família Threskiornithidae e é o único representante desta família (que inclui várias espécies de ibis) com presença regular em Portugal. Com cerca de 80 a 90 cm de comprimento, 115 a 130 cm de envergadura, pescoço e patas compridas e uma plumagem maioritariamente branca, o Colhereiro assemelha-se a uma garça-branca de grande dimensão. Apresenta, no entanto, pescoço e patas mais longas, plumagem de um tom branco-creme e um bico inconfundível, comprido e terminando em forma de colher. Na plumagem nupcial os adultos apresentam uma poupa de penas amarelo-pálido, uma mancha alaranjada na base do bico e uma banda alaranjada à volta do peito. O bico é preto com a extremidade alaranjada na estação reprodutora; as patas são pretas. Nos juvenis as pontas das asas são pretas; o bico é cor-de-rosa, tornando-se preto no primeiro Inverno. Trata-se de uma espécie que não oferece qualquer dificuldade de identificação quando bem observada, nomeadamente quando é possível observar o seu bico inconfundível.

Em Portugal pode não ser uma espécie de fácil observação, uma vez que está restricta a poucas zonas húmidas nacionais. O Paúl do Boquilobo, os Estuários do Tejo e Sado, a Lagoa de Santo André, a Ria Formosa e as salinas de Castro Marim são os principais locais de invernada da espécie, que só está presente como reprodutora no Paúl do Boquilobo, em Pêro Pião e na Ria Formosa.

E agora, compadres e comadres, também pode ser vista na Barragem de Alcáçovas...