sábado, 14 de janeiro de 2017

Almaraz, um perigo iminente !...






O tempo de vida de uma central nuclear são 30 anos. Almaraz tem 35, mas ainda não há plano final para a encerrar. A 100 km de Portugal, os maiores riscos são a contaminação do ar e da água do Tejo e por consequência, de todo o Sul de Portugal ( Beira Baixa, Ribatejo, Alentejo e Algarve) e Espanha ( Castilla y Leon, Extremadura e Andaluzia ).


Começou a ser construída em 1972 e tem dois reatores: um deles entrou em funcionamento a 1 de maio de 1981 e o segundo começou a funcionar dois anos mais tarde, a 8 de outubro de 1983. É gerida por três empresas: a Iberdrola (53 %), a Endesa (36 %) e a Unión Fenosa (11 %).
É a primeira central nuclear de segunda geração em Espanha, mas a quarta infraestrutura de energia nuclear no país. As outras três são José Cabrera (Zorita), Santa María de Garoña (Burgos) e Vandellos I (Tarragona). No entanto, só a Central Nuclear de Almaraz era responsável, em 2010, por 7,6% da energia elétrica produzida em Espanha e representava 25% de toda a energia nuclear criada no país.
Esta Central Nuclear espanhola é arrefecida pelas águas do Rio Tejo.
Não obstante, com excepção dos períodos de maior pluviosidade, já quase não existe rio Tejo em Portugal, visto que, da fronteira até Lisboa, só corre um riacho, altamente poluído e já morto.
A maior parte do caudal do Tejo é desviado para o Sul de Espanha, antes de entrar em Portugal, chegando através de transvases ás bacias hidrográficas dos rios Ebro e Guadiana.
O caudal mínimo do Tejo em Portugal, aumenta a concentração quer dos poluentes radioactivos, quer dos poluentes agrícolas, (suiniculturas, adubos, herbicidas, pesticidas), quer dos resíduos industriais ilegalmente vertidos no Tejo.
Acresce que a água do Tejo que entra em Portugal acabou de arrefecer a central nuclear de Almaraz, e um dia, se a central nuclear explodir, a água transportará radioactividade em altas doses directamente até à capital de Portugal, depois de atravessar o Alentejo e o Ribatejo.

Espanha solicitou em 2015 autorização para construir um armazém de resíduos nucleares, que o Governo português contesta.
Portugal anunciou que vai apresentar queixa em Bruxelas contra Espanha devido ao diferendo.
Para o bem de todos nós, Portugueses e Espanhóis, seria muito bom que este projeto não tivesse futuro...


Neste blogue não nos comprometemos com questões politicas, sejam internacionais, nacionais, regionais ou locais...
Mas este tema é demasiado importante para sermos "neutrais".
Está em jogo todo o futuro duma enorme região transfronteiriça e mais importante ainda, o futuro dos nossos filhos e netos, das gerações vindouras, que não têm culpa da ganância capitalista, tão característica da estupidez humana...
Basta que se lembrem do que aconteceu em Chernobyl e Fukushima para perceberem que estes irresponsáveis estão a brincar com algo que é impossível controlar !...