domingo, 29 de setembro de 2013

O nosso coreto faz 84 anos




Decorria o ano de 1925, quando a Banda de Musica da Capricho Setubalense, visitou a Vila das Alcáçovas, deixando esta visita, agradáveis recordações em todos os Alcaçovenses, sob a regência do ilustre alcaçovense, o Sr. Doménico Maia, na altura, subchefe da Banda do Regimento de Infantaria 11.

Entre os dias 10 e 11 de Julho de 1927, a Sociedade União Alcaçovense, organiza o “Festival Pró Coreto”. Este evento, teve como finalidade angariar verbas para a construção do futuro Coreto, contando com a amável participação da Direcção da Sociedade Capricho Setubalense e do seu Sextetos de Saxofones, sob a regência do alcaçovense, Sr. Agripino Maia. Ainda no mesmo ano inicia-se a construção do imóvel, por subscrição pública.

No dia 29 de Setembro de 1929, após grande esforço e determinação dos Alcaçovenses, o Coreto é inaugurado pela distinta Banda de Musica da Capricho Setubalense, dando-se inicio a um intercambio cultural entre a Vila das Alcáçovas e a Cidade de Setúbal sem precedentes.

Tanto a sua arquitectura, como a sua construção foram executados por Alcaçovenses, destacando-se: Manuel do Carmo, António Galvão, Lucilio Pires Bamond e seu irmão Francisco, António Machado, Francisco Bagão, Mestre Sátiro, Augusto Martins, Manuel Esteves, Mestre Pardalinho, Mestre Rainha, Mestre Justo, Mestre Ladeira, Mestre Calhao, Mestre Sim Sim e muitos outros que o tempo e a incúria dos homens apagou. 

O desenho foi feito pelo Tomás, com 7 anos, que numa bela tarde de Primavera fez estes rabiscos junto ao quiosque do "Chencho".