sexta-feira, 3 de julho de 2015

Alentejo




























Alentejo da minh’ alma
Muito se fala de ti
Depreciando a calma
Como uma erva ruim

Penso que é a inveja
Que muito, os faz falar
Não conhecem tua grandeza
No pensamento a trovar

Se te vissem com os meus olhos
Ficavam tão deslumbrados
Que eternamente seriam
Do sossego apaixonados

Bem no meio da natureza
De olhos fechados a ouvir
Entranha paz e a leveza
No coração o sentir

Alentejo…  luz,  perfume,melodia…
Desabrochar da sua gente
Trovas que embalam o dia
Ao ritmo de vozes diferentes

Alentejo veste-se de olhares
Já não passa despercebido
Vai pelo mundo a cantar
Alentejo desmedido

A terra domina o sonho
Transpira o povo d’ emoção
Flui a mente e o ar risonho
Bate mais o coração

06-02-2015 Maria Antonieta Matos
Pintura do meu amigo Costa Araújo

Visto em: www.facebook.com/mariaantonieta.matos