quarta-feira, 15 de maio de 2013

Linha do Sul


As velhinhas Automotoras Nohab da CP fizeram parte duma época que nos deixa imensas recordações. Era o tempo em que as Estações e Apeadeiros ao longo da Linha do Sul e seus Ramais fervilhavam de vida. Era um vai-vém interminável de passageiros e bagagens. As pessoas tinham tempo para se conhecer durante as lentas viagens de comboio, mas ninguém se queixava, porque era uma boa forma de encontrar velhos amigos ou conhecidos.
Agora, a maioria destes edificios e construções está abandonada e não contribuem em nada para o progresso do Alentejo.
Resta-nos recordar e homenagear todos os homens e mulheres que, ao longo das linhas ferroviárias, proporcionaram que os comboios unissem populações e criassem riqueza.

O Caminho de Ferro do Sul tinha como objectivo unir as cidades de Beja e Évora ao Barreiro, aonde existia um porto fluvial com ligação a Lisboa; para a sua construção, foram contratadas duas companhias, tendo a Companhia Nacional dos Caminhos de Ferro ao Sul do Tejo sido responsável pela implementação da via férrea entre o Barreiro e Vendas Novas, enquanto que a Companhia do Sueste deveria continuar a linha a partir de Vendas Novas.