quarta-feira, 17 de abril de 2013

Memórias de um Anfitrião - Ti Chico Guerra

O senhor Francisco Guerra foi um homem simples com forte personalidade e determinação inigualável. O Ti Chico Guerra pertence a uma geração de pessoas às quais foram negadas as mais simples e elementares oportunidades tais como frequentar a escola primária e assim foi aprendendo a escrever e ler sozinho. Em sua vida foi registando os seus pensamentos da forma como sabia e assim vos mostro uma pequena parte dos seus pensamentos acerca da aldeia do Campinho, terra onde sempre viveu, que se situa a 13 quilómetros de Reguengos de Monsaraz.

Tudo o que era entigo,
Muito-ce vai a Cabando,
E Munto-ce vai destruindo,
O moderno vai amentado,

Quem conheceo o Campinho,
A 60 anos atraz,
É que sabe contar,
Adifrença que tudo Faz,

Não tinhas estradas Novas,
Nem Ruas alcatruadas,
Nem canos des gotos,
Nem aguas em canelizadas,

Casas de banho Não avia,
Para faserem as nicidades,
De trás dos quintais sivia,
As suas sujidades,

O Campinho tem amentado,
Desde 1940,
Contento que tem milhorado,
E o peçoal não-ce contenta,

O pessoal Nentem alegria,
E eo estou astranhar,
Nem de noite Nem de dia,
Se ove alguém a cantar,

Não avia Ruas tanconpridas,
Para Mucidade paciar,
E não avia prédios de jeito,
Como hoje si estão a em contrar,

Campinho não tinha ingreja,
Nem escola do estado,
Ios Bairros dona Amélia,
Que em 60 Foram acabados,

Aingreja do Campinho,
Esteve 41 anos sinter Relojio,
Em Julho de 98 Foi prantado,
E não da as horas sertas,
E leva o tempo parado,

As Ruas não tinham nome,
Nem as portas Numeradas,
Nem Camioneta da Carreira,
Nem as ruas calcetadas,

No Campinho não avia cimiterio,
Para são Marcos levavam ostfuntos,
Um lugar triste e sério,
E já-ce paçaram eces assuntos,

Não avia Bairros da Bitação,
Nem junta de Freguesia, Nem sentro de saúde,
Que tanta falta Fazia,

A praça Bernardino José Cruz,
Oje játem um jardim,
E o Campinho já tem luz,
Esta tudo milhor acim,

Foi cõstruido um grade café,
Na intigas casas do Batista,
O Mestre Francisco José,
É dono e bom artista,

Vou faser lenbrar
O que vai istando esquecido,
Do tempo que-ce tenpaçado,
De pois de eu ter nascido.

O campinho tem a mentado
Cadavez tem mais valor
Em tempos estava dispresado
Ea gora pare-ce uma flor.

http://evorasombra.blogspot.pt/2008/11/campinho-e-caminhos-do-alentejo.html