quinta-feira, 3 de outubro de 2013

D. Celeste, a vendedora de Lavandas




 Pois bem, foi lá, na praça da vila de Castelo de Vide que conheci a D.Celeste.
Por ali circulava, a braços com um molho de alfazemas, que vendia a 1 Euro cada raminho. Vive na zona antiga da vila, era Domingo de manhã, tinha vindo à missa e aproveitado para ganhar umas moedas.

A pretexto da lavanda começámos a conversar. Desabafou que tinha tido 6 filhos, todos a viver longe e agora vivia com dificuldades; era viúva e os 500 euros que o marido lhe tinha deixado no banco já se tinham acabado...

Perguntou-me o que eu ia fazer da parte da tarde e, ao ouvir o meu programa, esvaziou-se-lhe a esperança do olhar.

_ Que pena...Gostava tanto de ir à barragem...

_  Qual barragem, D. Celeste?

_ À da Póvoa. Não é longe, mas não dá para ir a pé...No tempo do meu marido ia lá muito...

_ Fazer o quê?

_ À pesca...

_ A senhora sabe pescar?

_ Então não sei. Tanto peixe que eu apanhava...
   Se fosse comigo, eu ensinava-a. - prometeu de olhar vivo e sincero, convencendo-me logo à partida.

_ Oh... hoje não dá D. Celeste, para a próxima! :((


Por fim, perguntei-lhe se a podia fotografar. Enviei a foto ao concurso que decorria integrado no festival...e na semana passada fui informada que a fotografia da D. Celeste tinha ganho o 1º prémio e eu uma estadia na  Quinta das Lavandas,  em Castelo de Vide. Fiquei feliz! :))

Desta feita não aprendi as artes da pesca, mas não deixo de ter ter razões para mandar  à vendedora de lavandas um grande muito obrigada...






Retirado do Blog: http://zanadias.blogspot.pt/