quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ida ao Mercado

Após 15 dias a viver sem frigorífico, ontem lá me entrou pela cozinha adentro o matacão branco...
Tem o desplante de ser da minha altura, mas engana-se bem enganadinho se pensa que vai ficar a exibir-se...Nem pensar... Até já tenho uma ideia para o esconder...
Frigoríficos são para mim caixotes grandes, monótonos, monocórdicos, autênticos "tanques de guerra" nas cozinhas, que por natureza são espaços femininos e delicados!... Enfim, são os ditadores dos actuais hábitos alimentares e a vida está  irremediavelmente feita para funcionar com eles...

Se de feio não passa, então que seja útil ... Portanto lá me levantei cedo para o ir abastecer ao mercado de Portalegre, onde ao Sábado de manhã se encontram ainda alguns produtores locais que vendem o excesso das suas hortas.


De lá trouxe polvo, sardinhas, cação, nabiças, feijão verde, pêssegos, salsa e duas mãos cheias de conversa com os vendedores que, por me verem de máquina em punho, perguntavam ,curiosos, se as fotos iam para o jornal...










...uns diziam que nunca esteve tão mau como agora, outros que aquilo que vendiam era do melhor que se podia encontrar e a maioria retribuia o sorriso...








Ao sair do mercado passei por uma senhora que, num alguidar com água, tinha três ramos de flores. Ficaram lá dois... Lá por ser antiga e estar com obras à porta, a  minha casa merece um...